terça-feira, 12 de abril de 2011

O RONDON deixou Saudades.



MINAS e BAHIA em Poço Redondo, 
Mas que calor, 
Todos eles, querem dar o seu amor...

Há tempos, venho tentando por em palavras a belíssima e proveitosa temporada que vivi com o PROJETO RONDON. Como acadêmico, me ouso a afirmar que talvez esta tenha sido a mais enriquecedora experiência que obtive sendo aluno da UESC. Para aqueles que não conhecem, o Projeto RONDON “é um projeto de integração social que envolve a participação voluntária de estudantes universitários na busca de soluções que contribuam para o desenvolvimento sustentável de comunidades carentes e ampliem o bem-estar da população e busca aproximar esses estudantes da realidade do País, além de contribuir, também, para o desenvolvimento das comunidades assistidas”. Como diria um dos coordenadores da equipe UESC/Poço Redondo (Guilhardes), só percebemos como é imenso o projeto quando estamos todos reunidos. É gente de todo canto do Brasil, reunimos todas as cores, raças, religiões, cheiros, cabelos, odores, vícios, culturas e todos com o mesmo intuito: tentar promover _na verdade tentar não!_ promover o bem estar social de uma forma que a população beneficiada nunca venha a esquecer o quanto significativa é esta parceria.


Recreação Infantil - Júnior Fontes 

O que mais importa no RONDON não é ilusão que estarmos levando cultura, conhecimento, luz a povos que vivem perdidos na Idade Média e que necessitam de uma transição e transformação que apenas o Iluminismo pode promover para o local, mas sim, o que conseguimos absorver de conhecimento da área, dos povos, dos costumes, crenças e muito mais. O meu RONDON (posso chamar-lo assim, rs.) aconteceu em Poço Redondo, Sergipe, terra cercada pela história do cangaço, terra de Lampião, Maria Bonita, Corisco, Coronéis e outras figuras que circulam este cenário. Terra marcada e castigada pela seca, caatinga, cactos (seus espinhos), pela falta de água e saneamento básico, falta de políticas publicas (...). Esquecida pelo tempo, mas que por traz de tudo isso, esconde um povo acolhedor, sofredor, sorridente, povo bonito e inteligente.

Mas, o que mais me fascinou no RONDON foram as relações construídas no decorrer da trajetória, os dormitórios no Batalhão dos Caçadores, a falta de água, a quantidade de pessoas que tinham de todo o Brasil: baianos, mineiros, pernambucanos, paranaense, paraibanos, sergipanos, alagoanos, cariocas e por ai vai. E todos juntos com a mesma finalidade, fazer o bem, ajudar ao próximo e da melhor forma possível. Nós Rondonistas por convicção, temos a plena consciência que nem de longe a ação do RONDON é suficiente para sanar todos os problemas sociais da determinada área (no caso do nosso grupo, me refiro a Poço Redondo o município mais pobre de Sergipe). Mas, através de cultura, educação, conhecimentos e oficinas, levamos um pouco de esperança a uma população que muitas vezes se acham esquecidas pelo resto da nação, pelas políticas públicas e por ai vai.

Minas e Bahia

Dentro da medida do possível tudo foi lindo (...): os almoços cheios de moscas, a falta de água, a culinária sergipana carregada no óleo e na carne gorda, requeijão, queijo, mandioca, batata doce e pão. Culinária tão diferente da nossa bahiana e da culinária sutil e leve dos mineiros, que coitados não conseguiam mais ouvir falar, comer e sentir cheiro do nosso saboroso e carregado coentro.

Para aqueles que não sabem, o RONDON é um desses programas de reality, mas com um cunho social enorme, diferente dos Big Brother e Fazendas da vida que nada oferecem de produtivo a sociedade a não ser, uma alienação e/ou castração dos direitos aos programas de qualidade. Programas estes que nos furtam um bom jornal, programa, seriado, documentário, entrevista e assim sucessivamente (perdão aquelas pessoas que vivem presas a isso, mas é apenas uma forma de comparação). Viver no RONDON é viver sobre os olhares de várias pessoas, afinal, quer saber quem são as pessoas que você conhece? Conviva com elas alguns dias. Aprendi a dizer que: as amizades que o RONDON constrói ninguém destrói, entretanto, as amizades que o RONDON destrói ninguém constrói. Sendo assim pude desfrutar da companhia de pessoas belíssimas que me marcaram pelo resto da minha vida, boa parte desta temporada não foi pior agradeço a belíssima Lú Hermeto que esteve comigo por todo esta temporada, me apoiando nas mais diversas atividades, desde oficinas com 120 crianças nas praças a oficinas de Origamis ministradas nas salas de aula. 

Luiza Hermeto

Contei também com a ajuda de Lucas Oliveira; grande parceiro e amigo carregado de uma enorme energia e criatividade. Não posso deixar de pensar nas companhias de: Lúiza, Gislaine, Jamille, Dayane, Marise, Ariel (grande parceiro que descobrir lá), Guilhardes e Aldneto (coordenadores da equipe da UESC). Enfim, a todos os integrantes da equipe da UESC e da João Pinheiro (Jú Morena, Jú Loira, Luiza Hermeto, André, Emanuelle, Camilla, Letícia Cancela e Luiza - Professora). Em alguns momentos uns ministrando suas próprias  oficinas em suas respectivas áreas ou não, em outros, apenas ajudando como auxiliar e/ou assistindo como ouvinte. Mas, sempre estávamos antenados de uma forma ou de outra.

Lucas Oliveira

Day e Gladistine 

GRUPO DA UESC- 
Agachados: Guilhardes, Aldneto e Júnior
Em pé: Jamile, Gislaine, Lucas Oliveira, Luiza, Ariel, Day e Marise. 

Como já disse anteriormente, talvez o RONDON seja a mais bela e proveitosa experiência que tive em minha carreira acadêmica e se não for certamente foi a que mais mexeu comigo, tanto como Discente da UESC como quanto pessoa ou cidadão. Foi com o RONDON que aprendi a quebrar diversos preconceitos, logo eu e quem diria?! Amante das lutas, lá, travei o meu maior e mais complexo desafio, o que driblar e vencer as minhas diferenças, meu orgulho, vaidade, a irá pelas coisas e ações que não concordo, EGO (...). Em Poço Redondo aprendi a lidar com o improviso, a partir do momento que tive que esquecer meu planejamento acadêmico para arregaçar as mangas e cair de "fuça" na realidade, não que esta seja totalmente diferente da realidade daqui ( do nosso estado ou região). Aqui também temos: violência infantil, prostituição, índices cada vez mais alarmante de jovens consumindo drogas ilícitas, mortes, taxas altíssimas de natalidade  e por ai vamos. No RONDON aprendi a arrastar o pé no forró; sem pisar no da minha parceira, a tocar triângulo, observei que meu repertório musical é vasto;  graças as farras da minha mãe que num consegue passar um domingo sem ligar o som no volume máximo para ouvir música (nestes momentos só penso na Jússara Morena), conheci o Velho Chico, Curralinho, andei de barco, subir em árvores, chupamos mangas tiradas na hora do pé e desfrutamos das diversas maravilhas da natureza. 


Jússara Morena se acabando 

Tocando Triângulo

Jú Loira, Lú Hermeto, Jú Morena, André, Manu, Letícia, Júnior Fontes

A todos que estiveram comigo nesta fase, muito obrigado! E a Day, meu enorme carinho elevado ao cubo, valeu menina por ter pensado em mim e confiado no meu potencial.

Abraços!


Vejam mais fotos aqui! 

22 comentários:

Danilo disse...

Com certeza deve ter sido uma experiencia maravilhosa. Conviver com as diferenças e sentir-se útil na mudanças das mesmas, é, de fato, muito impolgante!! Parabéns!

francielen disse...

O projeto é uma bela iniciativa.Espalhar cultura e alegria é realmente uma atividade prazerosa.

Luíza disse...

Concordo que a experiência foi única e enriquecedora, adorei conhecer novas pessoas, realidades, culturas e também foi bastante válido para um auto-conhecimento!Foi muito bom ter rondonetes tão legais ao meu lado (Gi,Day,Milly(cocó),Mariguete),e conhecer melhor as resenhas de lucas,Gui e neto,a veia "apaixonante" de Júnior e os debates polêmicos de Ariel em pleno almoço,rs!!!Enfim, viva a possibilidade de aprender grandes lições de vida com pessoas tão singulares e fascinantes!!!Gostei do texto e da homenagem da minha chará tb...kkkk!Beijos

Alves K. A. disse...

A passagem do Rondon em Poço Redondo nos fez perceber que nunca podemos desitir e que tem sempre alguém fazendo a sua parte e que também podemos e devemos fazer a nossa. Aos rondonistas as minhas desculpas por o que não lhes foi oferecido, e minha gratidão por tudo o que vcs nos proporcionaram...

JACK disse...

PARECE SER UMA EXPERIÊNCIA ÚNICA MESMO. NÃO SÓ PELO O QUE ESCREVEU, MAS PELO O QUE FALA LÁ NA UESC SOBRE ESTA VIAGEM QUE FOI, CONCERTEZA, MUITO IMPORTANTE PRA VOCÊ EM MUITOS SENTIDOS(ACHO QUE SABE DO QUE EU TOW FALANDO...KKKK). CONCERTEZA VOCÊ PASSOU PRA AQUELAS PESSOAS O QUE VOCÊ TEM DE MELHOR NO CORAÇÃO E EM SUA ALMA. TENHO CERTEZA QUE ESSA REALIDADE TE ABRIU OS OLHOS PARA MUITAS COISAS, PRINCIPALMENTE AO DESCASO DE MUITOS EM RELAÇÃO A REALIDADE DE MUITAS PESSOAS NO BRASIL. E SEI TAMBÉM COMO VOCÊ ESTÁ FELIZ POR TER PARTICIPADO DE UM PROJETO TÃO GRANDIOSO. PARABÉNS PELO BLOG.

Ariel disse...

Um grande parceiro que descobri ²
O RONDON, querendou ou não, mudou nossas vidas! Grande abraço!

Augusto M Fagundes Oliveira disse...

Parabenizo!!! Fico feliz em ver que se segue adiante, ação em comunidades com criticidade social e acadêmica! De fato estas "coisas" deixam saudade, marcam... Mais uma vez gente da UESC/Bahia junto com o povo das Minas Gerais, esta mistura boa deu super certo em Massaranduba-PB e segue adiante... Muito massa!!!

Júnior Fontes disse...

Muito obrigado por todos os comentários.

Anônimo disse...

Meu sonho é te ver pelado tomando banho

Apredendo para Viver! disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jéssica Goes disse...

ótimo texto nos mostra o quanto é um experiência que realmente vale a pena ser vivida. Parabéns!!

Luiza Hermeto disse...

Sensacional! Retratou bem nossa experiência! Adorei a homenagem! Obrigada! Rsrs! beijos!

Anônimo disse...

Quem sabe esse sonho não se realize?

Brisa Dalilla disse...

Texto maravilhoso. :D

Deu pra ver que foi exatamente como eu esperava que fosse pra vc: uma oportunidade única de colocar seus conhecimentos em prática, vivenciar coisas novas e mais do que nunca, se divertir.

Você bota pocando, como sempre. =)))))

Annye disse...

Amei! Como já tinha lido o texto, só passei o olho nas fotos agora. Mas percebi que você deu uma melhorada, afinal.. o sono tava te pegando aquele dia né?

Um cheiro.

jussara disse...

Que saudade desses baianos, gente! Conexão ímpar a Minas-Bahia. Parabéns pelo texto, Júnior! Abraço apertado em todos!

lucas oliveira disse...

cambio junior tua agradeceste a day por tigo ter participadp do rondon ! agora eu agradeço a te pelo presente que me deste!! graças a voce eu tava lá cara!!EU FUI RONDONISTAAAAA!! ta na minha historiaaa !!valeu pela mistura de culturas!!gente bonita,gente sabida,gentes de todo canto com seus encantos e sabores!! bahia e minas valeu!! viva guilharde viva neto nossos mestres!!eles sao demais viu!!a nossa turma uesc foi a melhor de TODOS OS RONDON !! EU GARANTO!! cambio saudades e bjao a todos que participaram dessa missão!!

Lucas disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Júnior Fontes disse...

Fico feliz por vc ter ido comigo Lucas, afinal como diria vc e eu concordo: apenas ti, pode direcionar a minha hiperatividade, minha energia (...) e nossa dupla foi massa! Teatro, recreação infantil, oficinas de artesanato(...) tudo estava entrelaçado.

Nego, ioa a barraca!!!

Massa velho, amigos como vc quero para ao resto de minha vida!

Gisa disse...

Sem comentários o que vivemos em lá. É muito gratificante, chegar a uma região desconhecida com uma cultura diferente, e ver nos olhos das pessoas vontade de aprender, de crescer. Como a própria frase do Projeto sugere, “O conhecimento pode mudar sua vida. E de muitas outras pessoas”. No Rondon fiz amigos que vou levar pra sempre comigo. Adorei o convivio com todos vcs. Neto e Gui nossos chefes, Lucas que só me chamava de Dinamarques, as rondonetes e claro que não posso esquecer do nosso anjo, Clemilson. Foi tudo muito bom.

Thassi Stolze disse...

Estava procurando na internet alguma coisa sobre o prjeto rondon na UESC e achei seu blog! Que lindo o que vc escreveu... Me deu ainda mais vontade de participar... mas to meio perdida! Se puder me add no msn (thassy_s2@hotmail.com) p eu tira algumas dúvidas... Beijo e Parabéns!

Adriana de Aquino disse...

Muito bom o que você escreveu, fez com que despertasse mais ainda a vontade de participar e ter na bagagem essa experiencia de vida, que, de acordo com seu relato, parece ser inesquecivel. Grande Beijo...

 
Copyright 2009 UESC Pelo Avesso. Powered by Blogger Blogger Templates create by Deluxe Templates. WP by Masterplan