terça-feira, 24 de maio de 2011

Wagner: o novo “cabeça branca” da Bahia

ADUSC - Associação dos Docentes da UESC, lançou uma matéria sobre o atual governo sua  falta de comprometimento com as UNIVERSIDADES PÚBLICAS no dia 24/05/2011. Confiram!!!

Apelidado de “cabeça branca”, o político Antônio Carlos Magalhães (1927 – 2007) inaugurou a era Carlista que dominou a Bahia por mais de 16 anos ininterruptos. Responsável por boa parte das mazelas educacionais existentes no Estado, o Grupo Carlista foi derrotado nas eleições estaduais de 2006 pelo Partido dos Trabalhadores – PT que trazia a esperança de dias melhores para o povo baiano. Pensou-se, então, que era o fim da sanha Carlista e das políticas nefastas para a educação superior. Enganou-se quem pensou que o atual Governo melhoraria a educação.

As sucessivas crises da educação superior pública no Estado da Bahia apresentam-se hoje de forma mais gritante em um cenário que deveria ser de melhorias. O Estado, detentor do maior PIB do Nordeste, preferiu através do seu gestor adotar políticas, principalmente para educação, que não propõem a superação da herança Carlista, tão criticada e combatida em épocas de afirmação do “projeto” que a esquerda tinha para a Bahia. Nota-se um cenário de total descompromisso com as Universidades Estaduais, onde o governo dito de esquerda tenta se eximir da responsabilidade de garantir a melhoria da educação, pauta histórica dos partidos e militantes da esquerda brasileira e também do PT, que a esqueceu com a chegada ao poder. Os ferozes ataques desferidos as Universidades são de todas as ordens, desde a precarização das condições de trabalho e funcionamento das unidades educacionais até a tentativa de calar os movimentos organizados nas instituições que saem em defesa do patrimônio público. Vários problemas são encontrados nas universidades estaduais, herdados de sucessivos governos carlistas e aperfeiçoados pelo atual: neocarlista e que não vê como prioridade a destinação dos serviços básicos à população, como uma educação de qualidade, por exemplo.

A realidade da Universidade do Estado da Bahia – UNEB é vexatória! A maior Universidade multicampi do Norte-Nordeste, com 24 campi espalhados no Estado (interior e capital), presente em quase todos os 417 municípios baianos através de seus projetos extensionistas, é hoje a principal instituição potencializadora da interiorização do ensino superior e representa a esperança de muitos/as filhos/as da pobreza deste Estado que depositam sua confiança nesta Instituição e que almejam ascensão social, contudo agoniza em virtude da insuficiência de verbas e se mostra incapaz de sustentar o tripé: ensino, pesquisa e extensão. É importante ressaltar que esta expansão da UNEB se deu, sobretudo de forma eleitoreira e irresponsável por parte do Governo do Estado e hoje colhe-se os frutos dessa desordem: a falta de qualidade da educação superior e de estrutura mínima para atender às necessidades de uma Instituição de Ensino Superior – IES.

Atenta e comprometida com a melhoria da educação neste país, sobretudo neste Estado, hoje a categoria docente das quatro Universidades Estaduais da Bahia – UEBA’s encontra-se em greve com uma pauta comum e consensual com todos os segmentos: melhores condições de funcionamento das universidades, apesar de cada categoria possuir suas pautas específicas. Importante, faz-se deixar claro que a opção pela greve docente nas quatro universidades estaduais, enquanto ferramenta de luta, se deu após inúmeras tentativas de negociação com o Governo do Estado e com a imposição do DECRETO 12.583/11 ou AI-5 das universidades, alcunha que recebeu em face de seu poder devastador.

O decreto 12.583/11 que segue o ritmo de contingenciamento do Governo Dilma se apresenta mais feroz na Bahia ao suspender direitos garantidos e conquistados pela classe trabalhadora deste Estado. Assim como o AI-5 que cerceou a liberdade de expressão e os direitos políticos de certos segmentos dando um pontapé na democracia brasileira, hoje o decreto 12.583/11 fere o Estado democrático de direito conquistado por todos nós, slogan do Governo do PT na Bahia, ao subtrair direitos da população baiana e da classe trabalhadora do Estado.

Este decreto mostra sua face mais cruel ao intensificar o sucateamento da educação superior na Bahia. É exatamente esta medida do Governador Jacques Wagner que radicaliza a opção do projeto do PT em não priorizar a educação e o que é mais problemático: desmontá-la. De maneira mais imediata, é possível visualizar nas Instituições de Ensino Superior – IES, laboratórios inadequados, falta de salas de aula, reduzido quadro docente e técnico-administrativo, obras sem conclusão, bibliotecas defasadas, altos custos com aluguéis, ausência de uma política de assistência estudantil que contemple a participação dos estudantes em eventos e a construção de residências e restaurantes universitários, pois não basta apenas a ampliação do acesso ao ensino superior é necessária a garantia da permanência dos estudantes na Universidade.

Neste sentido, os/as lutadores/as da Educação neste Estado que não se furtaram em momento algum da responsabilidade de reivindicar uma educação de qualidade avaliam que a greve existente hoje nas quatro Universidades Estaduais configura-se enquanto uma ferramenta imprescindível de resistência/enfrentamento às nefastas políticas de sucateamento da educação pública na Bahia. Um movimento que merece respeito e que repudia as falsas declarações/propagandas veiculadas na mídia baiana e que não aceita o cinismo diplomático do falso Governo de Esquerda.


Confiram mais matérias aqui, ADUSC.

terça-feira, 12 de abril de 2011

O RONDON deixou Saudades.



MINAS e BAHIA em Poço Redondo, 
Mas que calor, 
Todos eles, querem dar o seu amor...

Há tempos, venho tentando por em palavras a belíssima e proveitosa temporada que vivi com o PROJETO RONDON. Como acadêmico, me ouso a afirmar que talvez esta tenha sido a mais enriquecedora experiência que obtive sendo aluno da UESC. Para aqueles que não conhecem, o Projeto RONDON “é um projeto de integração social que envolve a participação voluntária de estudantes universitários na busca de soluções que contribuam para o desenvolvimento sustentável de comunidades carentes e ampliem o bem-estar da população e busca aproximar esses estudantes da realidade do País, além de contribuir, também, para o desenvolvimento das comunidades assistidas”. Como diria um dos coordenadores da equipe UESC/Poço Redondo (Guilhardes), só percebemos como é imenso o projeto quando estamos todos reunidos. É gente de todo canto do Brasil, reunimos todas as cores, raças, religiões, cheiros, cabelos, odores, vícios, culturas e todos com o mesmo intuito: tentar promover _na verdade tentar não!_ promover o bem estar social de uma forma que a população beneficiada nunca venha a esquecer o quanto significativa é esta parceria.


Recreação Infantil - Júnior Fontes 

O que mais importa no RONDON não é ilusão que estarmos levando cultura, conhecimento, luz a povos que vivem perdidos na Idade Média e que necessitam de uma transição e transformação que apenas o Iluminismo pode promover para o local, mas sim, o que conseguimos absorver de conhecimento da área, dos povos, dos costumes, crenças e muito mais. O meu RONDON (posso chamar-lo assim, rs.) aconteceu em Poço Redondo, Sergipe, terra cercada pela história do cangaço, terra de Lampião, Maria Bonita, Corisco, Coronéis e outras figuras que circulam este cenário. Terra marcada e castigada pela seca, caatinga, cactos (seus espinhos), pela falta de água e saneamento básico, falta de políticas publicas (...). Esquecida pelo tempo, mas que por traz de tudo isso, esconde um povo acolhedor, sofredor, sorridente, povo bonito e inteligente.

Mas, o que mais me fascinou no RONDON foram as relações construídas no decorrer da trajetória, os dormitórios no Batalhão dos Caçadores, a falta de água, a quantidade de pessoas que tinham de todo o Brasil: baianos, mineiros, pernambucanos, paranaense, paraibanos, sergipanos, alagoanos, cariocas e por ai vai. E todos juntos com a mesma finalidade, fazer o bem, ajudar ao próximo e da melhor forma possível. Nós Rondonistas por convicção, temos a plena consciência que nem de longe a ação do RONDON é suficiente para sanar todos os problemas sociais da determinada área (no caso do nosso grupo, me refiro a Poço Redondo o município mais pobre de Sergipe). Mas, através de cultura, educação, conhecimentos e oficinas, levamos um pouco de esperança a uma população que muitas vezes se acham esquecidas pelo resto da nação, pelas políticas públicas e por ai vai.

Minas e Bahia

Dentro da medida do possível tudo foi lindo (...): os almoços cheios de moscas, a falta de água, a culinária sergipana carregada no óleo e na carne gorda, requeijão, queijo, mandioca, batata doce e pão. Culinária tão diferente da nossa bahiana e da culinária sutil e leve dos mineiros, que coitados não conseguiam mais ouvir falar, comer e sentir cheiro do nosso saboroso e carregado coentro.

Para aqueles que não sabem, o RONDON é um desses programas de reality, mas com um cunho social enorme, diferente dos Big Brother e Fazendas da vida que nada oferecem de produtivo a sociedade a não ser, uma alienação e/ou castração dos direitos aos programas de qualidade. Programas estes que nos furtam um bom jornal, programa, seriado, documentário, entrevista e assim sucessivamente (perdão aquelas pessoas que vivem presas a isso, mas é apenas uma forma de comparação). Viver no RONDON é viver sobre os olhares de várias pessoas, afinal, quer saber quem são as pessoas que você conhece? Conviva com elas alguns dias. Aprendi a dizer que: as amizades que o RONDON constrói ninguém destrói, entretanto, as amizades que o RONDON destrói ninguém constrói. Sendo assim pude desfrutar da companhia de pessoas belíssimas que me marcaram pelo resto da minha vida, boa parte desta temporada não foi pior agradeço a belíssima Lú Hermeto que esteve comigo por todo esta temporada, me apoiando nas mais diversas atividades, desde oficinas com 120 crianças nas praças a oficinas de Origamis ministradas nas salas de aula. 

Luiza Hermeto

Contei também com a ajuda de Lucas Oliveira; grande parceiro e amigo carregado de uma enorme energia e criatividade. Não posso deixar de pensar nas companhias de: Lúiza, Gislaine, Jamille, Dayane, Marise, Ariel (grande parceiro que descobrir lá), Guilhardes e Aldneto (coordenadores da equipe da UESC). Enfim, a todos os integrantes da equipe da UESC e da João Pinheiro (Jú Morena, Jú Loira, Luiza Hermeto, André, Emanuelle, Camilla, Letícia Cancela e Luiza - Professora). Em alguns momentos uns ministrando suas próprias  oficinas em suas respectivas áreas ou não, em outros, apenas ajudando como auxiliar e/ou assistindo como ouvinte. Mas, sempre estávamos antenados de uma forma ou de outra.

Lucas Oliveira

Day e Gladistine 

GRUPO DA UESC- 
Agachados: Guilhardes, Aldneto e Júnior
Em pé: Jamile, Gislaine, Lucas Oliveira, Luiza, Ariel, Day e Marise. 

Como já disse anteriormente, talvez o RONDON seja a mais bela e proveitosa experiência que tive em minha carreira acadêmica e se não for certamente foi a que mais mexeu comigo, tanto como Discente da UESC como quanto pessoa ou cidadão. Foi com o RONDON que aprendi a quebrar diversos preconceitos, logo eu e quem diria?! Amante das lutas, lá, travei o meu maior e mais complexo desafio, o que driblar e vencer as minhas diferenças, meu orgulho, vaidade, a irá pelas coisas e ações que não concordo, EGO (...). Em Poço Redondo aprendi a lidar com o improviso, a partir do momento que tive que esquecer meu planejamento acadêmico para arregaçar as mangas e cair de "fuça" na realidade, não que esta seja totalmente diferente da realidade daqui ( do nosso estado ou região). Aqui também temos: violência infantil, prostituição, índices cada vez mais alarmante de jovens consumindo drogas ilícitas, mortes, taxas altíssimas de natalidade  e por ai vamos. No RONDON aprendi a arrastar o pé no forró; sem pisar no da minha parceira, a tocar triângulo, observei que meu repertório musical é vasto;  graças as farras da minha mãe que num consegue passar um domingo sem ligar o som no volume máximo para ouvir música (nestes momentos só penso na Jússara Morena), conheci o Velho Chico, Curralinho, andei de barco, subir em árvores, chupamos mangas tiradas na hora do pé e desfrutamos das diversas maravilhas da natureza. 


Jússara Morena se acabando 

Tocando Triângulo

Jú Loira, Lú Hermeto, Jú Morena, André, Manu, Letícia, Júnior Fontes

A todos que estiveram comigo nesta fase, muito obrigado! E a Day, meu enorme carinho elevado ao cubo, valeu menina por ter pensado em mim e confiado no meu potencial.

Abraços!


Vejam mais fotos aqui! 

sábado, 15 de janeiro de 2011

Férias de Rondonista é trabalhando.

Aconteceu nesta segunda feira em minha casa (Júnior Fontes) a penúltima reunião que antecede a nossa partida ao projeto RONDON. Para aqueles que não conhecem, o Projeto RONDON existe há quase 60 anos e tem uma forte parceria entre Exército e Universidade, visando promover atividades, cursos, palestras e outras mais.  

Guilardes, Aldineto e Lucas Oliveira

A belíssima Jamile Azul

                              
     
Rondonistas Reunidos  

Confiram mais fotos aqui!



De voltas às atividades

Neste período de recesso o UESC Pelo Avesso resolveu dar uma freada nas postagens. Mas estamos de volta, cheios de vontade de trabalhar e mostrar as coisas boas e “maracutáias” que acontecem em nossa Universidade. Que o nosso 2011 seja repleto de felicidades, que encontremos Docentes competentes que postem as notas no prograd, que avisem quando ira faltar às aulas, que planejem, que os trotes sejam menos retardados; sem denegrir a imagem das pessoas, que se multipliquem as manifestações culturais, que encontremos mais o reitor e assim sucessivamente.

Mas o que seria da Universidade Estadual de Santa Cruz sem estes entraves? As discussões, as perdas e conquistas, as perseguições dos professores, a presença dos alunos caroneiros que não estudam e que não querem ser avaliados de forma correta; mas, qual seria esta forma correta? As relações/amizades intercursos, as pequenas reuniões que acontecem nas cantinas e que são super produtivas, aos empresários do DCE que ficam fazendo politicagem estudantil e vão passar o cartão no fim do mês para retirarem a contribuição dos partidos que os apóiam, enfim, a tudo que compõe o cenário deste espaço: proprietário, curral, bois, vacas e pião.

Este texto teve a contribuição de Carol Souza discente do curso de Comunicação Social da UESC. 

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

O Uesc Pelo Avesso no Jornal Agora

Devido a uma postagem feita por um dos colaboradores do UESC Pelo Avesso, eu Júnior Fontes - aluno do 4º Semestre do Curso de Educação Física da UESC, fui convidado para uma entrevista a respeito do Projeto de Musculação da UESC, do qual, também participo sendo monitor. Confira abaixo algumas fotos do Projeto que vem funcionando a todo vapor e a reportagem  feita pela jornalista Viviane Cabral Farias. 

Uma das grandes vantagens do projeto é ampliar as relações entre funcionarios, professores e alunos em um ambiente de lazer e não academico e promover a extensão destas relações num ambiente descontraído através da prática de exercícios físicos.

 Reportagem Jornal Agora 

 Aluno malhando

 Alunos e Funcionários

Monitores: Júnior Fontes e Camilo


Para ampliar a reportagem click em cima da mesma e confira mais fotos aqui!

domingo, 7 de novembro de 2010

X Semana de Filosofia

Do dia 16 a 19 de Novembro de 2010 estará acontecendo na UESC - Universidade Estadual de Santa Cruz a X SEMANA DE FILOSOFIA E V SIMPESE - Seminário Interno de Pesquisa em Filosofia. O evento trará discussões sobre as ideias/pensamentos dos filosofos: HEIDEGGER, FOUCAULT, HORKHEIMER e outros.

Contaremos com a participação dos Professores, Mestres e Doutores: Carlos Roberto Guimarães (UESC), Sally Wellausen (UPM), Carla Milani Damião (UFGO), Gilvan  Fogel (UFRJ), Lourival Pereira Júnior - Piligra(UESC), Marcos Alberto (UESC), Josué Candido (UESC) e uma gama mais. Todos participando em: mesas redondas, conferências e minicursos.  

 
Folder

    
Folder

Mais informções click no folder.

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Corrida na UESC

 Acontecerá no dia 27 de Novembro de 2010 as 08:00 Hrs à III Corrida da UESC. 
Confiram mais indformações no Cartaz e Folder abaixo.








Mais informações poderam ser dadas no PQD - Parque Desportivo de Educação Física da UESC. 

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

PROJETO MUSCULAÇÃO

Pensando na melhoria e no bem estar dos Discentes, Docentes e Funcionários da UESC. Os Professores de Educação Física em parceiria com os alunos resolveram criar um projeto para contemplar todo o universo academico. Sendo assim, abrimos as portas do nosso curso para todos que queiram diminuir o árduo sedentarismo com uma boa e prazerosa atividade corporal.

Cartaz

 Tótó - grande colaborador

Sala de Musculação

As incrições aconteceram nos horários das aulas, mais informações no Colégiado de Educação Física ou na Academia de Musculação da UESC. 

Veja mais fotos aqui!

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

II Semana de Educação Física da UESC

Com o intuito de discutir temas relevantes no ambito da Educação Física Escolar, o evento traz como tema central as discussões sobre as temáticas e diretrizes curriculares. 

O evento sera realizado pelo Curso de Licenciatura Educação Física da Universidade Estadual de Santa Cruz, Centro Acadêminco de Educação Física da UESC, a Diretoria Regional de Educação - DIREC 6 e 7 e Secretária Municipal de Ilhéus - SEDUC. 

Confira mais notícias aqui!

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

[ ENCENA ] A primeira série de Ficção da TV UESC

A TV UESC -  Juntamente com o Curso de Comunicação, nos presenteia com uma série de curtas que ira fazer você se contorcer de rir. Os temas são os mais corriqueiros possíveis: terminio de relacionamento, TOC - Transtorno Obsessivo Compulsivo, Funcionário do mês e outros mais.







Confira mais novidades aqui!




terça-feira, 17 de agosto de 2010

PIBID - Prodocência

Será realizado no dia 27/08/2010 o Projeto "Rodas de conversas com a sociologia", um evento realizado pela Uesc sob a coordenação do Prodocência, com o foco voltado aos professores do Prodocência, alunos PIBID - UESC e professores da rede pública. Será abordado como tópico central o diálogo da Sociologia com o ensino médio.


 Mais notícias como ficha de inscrição ou coisas do tipo, clique aqui.

Pilhas Recarregadas

Chega de molesa! O negócio agora é trabalhar. Algumas pessoas vieram conversar comigo sobre o Uesc Pelo Avesso, imaginem, tem gente que lê o blog e comenta comigo positivamente, tem outras pessoas que sabem da existencia desta ferramente e me chama de louco. Será?! Falam sobre a formalidade que devo ou não impregar e coisas do tipo. Estou deixando bem claro que, a minha formalidade no blog é do tamanho da minha força de vontade. Isso aqui é um espaço aberto para divulgações dos eventos, elogios e criticas. Sabendo nós que, não é só eu quem posto coisas... as pessoas me mandam matérial e eu apenas as coloco no blog, preservando a identidade ou não do contribuidor.

Caso algumas pessoas ainda tenham dúvidas da ideia central disso aqui, por favor, largue de prequiça e leia a primeira postagem.

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Algumas Informações Sobre o Projeto RONDON

Todas as informações aqui postadas foram retiradas do site do Ministério da Defesa.Lá existe um link para o Projeto Rondon. Caso queiram,depois acessem.Vale a pena!

1. O QUE É O PROJETO RONDON?
  O Projeto Rondon, coordenado pelo Ministério da Defesa, é um projeto de integração social que envolve a participação voluntária de estudantes universitários na busca de soluções que contribuam para o desenvolvimento sustentável de comunidades carentes e ampliem o bem-estar da população e busca aproximar esses estudantes da realidade do País, além de contribuir, também, para o desenvolvimento das comunidades assistidas.        O Projeto Rondon é realizado em estreita parceria entre diversos Ministérios e o imprescindível apoio das Forças Armadas, que proporcionam o suporte logístico e a segurança necessários às operações. Conta, ainda, com a colaboração dos Governos Estaduais, das Prefeituras Municipais, da União Nacional dos Estudantes, de Organizações Não-Governamentais, de Organizações da Sociedade Civil de Interesse Público e de Organizações da Sociedade Civil. 
       As atividades realizadas pelos rondonistas, como são chamados os professores e estudantes universitários que participam do Projeto, concentram-se nas áreas de comunicação; cultura; direitos humanos e justiça; educação; meio ambiente; saúde; tecnologia e produção e trabalho. 

COMO PARTICIPAR DE UMA OPERAÇÃO DO PROJETO RONDON?

O Projeto Rondon seleciona apenas Instituições de Ensino Superior (IES) que enviem oficialmente uma proposta de trabalho.
Você, estudante ou professor universitário, interessado em participar de uma operação do Projeto Rondon, deverá acompanhar as etapas abaixo:

DIVULGAÇÃO DO CONVITE PARA AS IES
A Coordenação-Geral do Projeto Rondon divulga em seu website (www.defesa.gov.br/projetorondon) um convite destinado às IES para participarem de uma operação. O convite indica os municípios, os conjuntos de ações a serem realizados, o cronograma de atividades, assim como as condições e os deveres que as IES e os rondonistas devem obedecer.
Obs: A divulgação do convite, provavelmente, ocorrerá no mês de novembro.


PREPARAÇÃO E ENVIO DA PROPOSTA DE TRABALHO
Mediante as informações do convite, cada IES desenvolve uma proposta de trabalho contemplando todas as ações do conjunto escolhido, de forma detalhada. 
A elaboração da proposta de trabalho é de inteira responsabilidade da IES, que tem total liberdade quanto ao conteúdo e formatação. É desejável que contenha: introdução; justificativa; objetivos gerais e específicos; metodologia e materiais utilizados; público-alvo; etapas e cronograma de atividades.

SELEÇÃO DAS PROPOSTAS DE TRABALHO DAS IES
A seleção das propostas de trabalho é realizada pela Comissão de Avaliação de Propostas do Projeto Rondon (CAPPR), que tem a participação de representantes de diversos ministérios. Os critérios de seleção envolvem o mérito, a pertinência e a exeqüibilidade da proposta bem como a excelência e a qualidade acadêmica da IES.
Após a seleção, é feita a designação das equipes por município. Cada município recebe duas equipes. Cada equipe desenvolve um conjunto de ações diferentes.
 
VIAGEM PRECURSORA
O professor-coordenador de cada equipe visitará o município que lhe for designado com o objetivo de ajustar as ações a serem realizadas, adequando-as às reais necessidades do município, com as lideranças comunitárias e com a prefeitura. 

REALIZAÇÃO DA OPERAÇÃO
Inicia-se com o deslocamento da equipe da capital ou da cidade-pólo da operação até o município onde as ações serão feitas e tem duração de duas semanas. Nesse período, a equipe deverá executar todas as ações constantes da proposta ajustada com a prefeitura. Ao final das duas semanas, a equipe retorna à cidade de partida.

ELABORAÇÃO DO RELATÓRIO
É responsabilidade de cada IES, após o retorno, enviar à Coordenação-Geral do Projeto Rondon um relatório sobre as atividades realizadas no município. O relatório é uma ferramenta de avaliação do trabalho realizado e fornece importantes informações para o constante aprimoramento das operações do Projeto Rondon.

Como podem ver, não se trata de turismo acadêmico, como muitos estudantes ainda pensam. É um projeto seríssimo e que pode nos proporcionar uma experiência ímpar.

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

A SAGA DO CONCURSO DA UESC

Segundo o PIMENTA NA MUQUECA no dia 07/07/2010: A empresa Concepção Consultoria Técnica Especializada Ltda foi a responsável pela aplicação das provas do concurso público da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc), para os cargos de analista e de técnico universitário. Ontem, os candidatos se depararam com provas mal-elaboradas e questões extraídas integralmente na internet.

Mas o que se sabe, via páginas valiosas do Diário Oficial do Estado, é que o resumo do contrato da empresa vencedora da licitação foi publicado apenas 16 dias antes das provas (20 de maio). E o contrato foi assinado no dia 18. Só assim para entender o porquê das provas com questões “emprestadas” da internet.

Afora a bagunça na elaboração das questões, candidatos de pelo menos duas salas reclamavam que o lacre dos malotes das provas chegaram rompidos às salas. Pelo belo serviço, a empresa recebeu (ou receberá) a bagatela de R$ 193.365,00.

A Uesc ainda não se pronunciou, oficialmente, a respeito da barbeiragem.

 No dia 29/07/2010, uma outra postagem foi feita pelo mesmo  blog, que informava que o CONCURSO PODE SER ANULADO. Olhe bem isso, ele pode ser. Rsrsrs

As Vagas eram para analista
e técnico universitário

Ninguém na Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc) se pronuncia sobre a possibilidade de cancelamento do concurso para contratação de analista e técnico universitário. As provas foram aplicadas no dia 6 de junho e o resultado estava previsto para sair, no máximo, no dia 30 daquele mês, mas até agora não foi divulgado.

No dia 22 de junho, a Uesc instaurou processo administrativo para investigar as irregularidades do concurso e a responsabilidade da empresa contratada para realizar o concurso público, a Concepção Consultoria Técnica Especializada Ltda.

O processo não foi concluído dentro do prazo e a comissão instalada para investigar a empresa recebeu mais 30 dias para apresentar relatório sobre o caso. Conforme denunciou o Pimenta, a Concepção foi contratada pelo governo estadual a 16 dias da aplicação das provas do concurso (relembre aqui). A empresa fez o “serviço” a R$ 193.365,00.

E qual foi o deslize da Concepção? A empresa apresentou provas com questões retiradas integralmente da internet, como o site Wikipédia, além de outras mal-elaboradas. No dia do concurso, os malotes com as provas também estavam violados, de acordo com candidatos.

Pelo atraso, as investigações e as provas polêmicas, o caminho será – talvez – o cancelamento. Ou alguém vai levar a sério um concurso que tantas dores de cabeça rendeu à Uesc?

Veja mais, aqui.

segunda-feira, 26 de julho de 2010

PIBID e a Inclusão de Pessoas com Deficiência

O evento promovido pelo PIBID/Prodocência/UESC, foi encerrado, no Auditório Jorge Amado, com o mini-curso: "Deficiência e Aspectos Neurológicos", ministrado pelo Prof. Dr. Edison Duarte, da UNICAMP.



Na abertura dos trabalhos, tivemos a oficina: "Jogos, brinquedos, brincadeiras adaptadas: Possibilidades para inclusão de pessoas com deficiência", com a Prof.ª Dr.ª Mey de Abreu Van Muster, da UFSCar.



Confira mais, aqui!

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Salobrinho vai Virar Palco das Produções Audiovisuais

Salobrinho vai virar palco das produções audiovisuais universitárias da Bahia

A NÚPROART e a Panorâmica Produções realizarão durante os dias 20 e 21 de agosto, a 1ª MUSA - Mostra Universitária Salobrinho de Audiovisual. O objetivo de produzir o evento surge da necessidade de implantar, no sul da Bahia, anualmente, um espaço de exibição, debate e formação da produção audiovisual produzida por universitários baianos, além de filmes de cineastas do nosso estado.

A MUSA vai atrair o público universitário, estudantes, professores, profissionais e admiradores da sétima arte. A mostra acontece na Quadra Poliesportiva Jaques Wagner, na Universidade Estadual de Santa Cruz - UESC, localizada no bairro do Salobrinho. A primeira homenageada da MUSA será Dona Valderez, moradora do bairro e atriz com participação crescente no cinema nacional, premiada no 38° Festival de Brasília do Cinema Brasileiro pela atuação no filme “Eu me Lembro”, de Edgard Navarro. O cineasta também tem presença confirmada no evento.

A mostra competitiva de curtas-metragens está aberta para produções de universitários de toda a Bahia. Os vídeos enviados serão submetidos a uma curadoria que selecionará quinze curtas, dos quais três serão eleitos pelo júri popular. Os que não forem escolhidos farão parte de uma mostra paralela não competitiva. Além disso, a MUSA será palco de bate-papos com diretores, atores, produtores; serão ministradas oficinas de Roteiro e Produção para Cinema, além de uma exposição de obras filisminográficas do artista plástico Ayam U’Brais.

Selecionado pelo Calendário de Apoio a Projetos Culturais 2010, promovido pela Fundação Cultural do Estado da Bahia – FUNCEB e financiado pela Secretaria de Cultura da Bahia, a MUSA conta também com apoio da Fundação Cultural de Ilhéus e da Universidade Estadual de Santa Cruz. As inscrições para a Mostra Competitiva e para as Oficinas estão disponíveis no blog do evento até o dia 06 de agosto.

Confira mais informações aqui

Relações Acadêmicas

O que leva um professor, ser acadêmico, quase imortal e totalmente superior as outras classes educadoras, a não cumprir com as suas obrigações como docente? O que observo por parte dos grandes professores que me cercam é a falsidade e o sarcasmo, dos profissionais da área da educação. Elogiam-se pela frente e por traz falam mal, a sempre um tom desonesto, desrespeitoso e falacioso: “fulano é um ótimo professor, pena que é um ótimo cachaceiro”. Se eu fosse me reter a todos os problemas que observo nas relações academias, acho que daria “pano para muita manga”, transito em várias esferas e os problemas são sempre os mesmos. Vaidade, “EGO”, falta de humildade, companheirismo, comprometimento; com os colegas de trabalho, com os alunos, “fofocas” e intrigas bestas.

Confesso que por muitas vezes chego a ficar chateado pelas coisas que vejo no ambiente acadêmico. Observo que os professores, mais do que todos, precisam de auxilio dos psicólogos e psiquiatras. Isso me levou a refletir no processo de formação destes. Sabemos que o processo de formação é árduo e doloroso, é um “investimento em longo prazo”. Então por conta desses problemas, acredito eu que, vários profissionais se trancam no seu mundo de livros, em suas quimeras (no fantástico mundo de Alice) e não observam as coisas da vida, não “gozam” dos prazeres, esta palavra vem em todos os sentidos que se relacionam ao prazer. Tem vezes que me arrependo por ter estudado tanto para passar no exame do vestibular e observar certos tipos de atitudes. Isso me desmotiva, assim como várias coisas que às vezes não passam de aprovações e reprovações da vida .

Deixo bem claro que o meu texto não se enquadra no perfil de todos os educadores.

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Curso de REIKIUSUITRADICIONAL

EVENTOS UESC

15 DE JULHO DE 2010 (QUINTA FEIRA)  DAS 8:30 ÀS 17:00

LOCAL: Parque Desportivo 
OFICINA: JOGOS, BRINQUEDOS, BRINCADEIRAS ADAPTADAS:
POSSIBILIDADE PARA INCLUSÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA

DOCENTE: Profª Drª Mey de Abreu Van Munster (UFSCar)

Apenas: 50 vagas



16 DE JULHO DE 2010 (SEXTA- FEIRA) DAS 8:30 ÀS 17:00

LOCAL: Auditorio Jorge Amado
MINI-CURSO: DEFICIÊNCIA E ASPECTOS NEUROLÓGICOS

DOCENTE:
Prof° Dr° Edison Duarte (UNICAMP)

Apenas: 100 vagas


Inscrições:
via e-mail inclusaoevento@yahoo.com.br

terça-feira, 29 de junho de 2010

Curso de Defesa Pessoal


A ACADEMIA JUDO SOL NASCENTE REALIZARÁ O 2º CURSO DE DEFESA PESSOAL, QUE SERÁ DIVIDIDO EM DOIS MÓDULOS, NOS DIAS 09, 10 E 11 DE JULHO E  16, 17 E 18 DO MESMO MÊS.


O EVENTO CONTARÁ COM A PARTICIPAÇÃO DE:
  • SENSEI RUY DIAS - 4º DAN DE JUDÔ
  • SENSEI CARLOS FREDERICO - 1º DAN DE BUDO TAI-JUTSU 
  • SENSEI TIAGO FERNANDES - 1º DAN DE JUDÔ
CONTAMOS COM A PARTICIPAÇÃO DE TODOS E NOSSA INSTITUIÇÃO TERÁ  A HONRA EM RECEBÊ-LOS EM NOSSA NOVA SEDE, NA AV. FERNANDO CORDIER, 416 - 1º ANDAR - CENTRO - ITABUNA (PRÓXIMO À ACADEMIA APOLLO).

MAIS INFORMAÇÕES PODERÃO  SER FORNECIDAS PELOS E-MAILS
  • judosolnascente@hotmail.com
  • jrfontesuesc@hotmail.com
A FAMÍLIA SOL NASCENTE AGRADECE.

segunda-feira, 28 de junho de 2010

ACADEMIAS


Sábado dia 26/10/2009: vou eu feliz que só para a rodoviária buscar a minha namorada (que hoje encontra-se no papel de minha mulher), pois estava chegando de uma temporada árdua de trabalho em uma terrinha sem lei do interior da Bahia, Coaraci. Sou de Itabuna. E não quero desmerecer a cidade, pois “ItaBUNDA” é interior também. Mas somos a cidade que mais cresce da Bahia, alias, a que mais cresce do Brasil! Somos a que mais cresce no índice que analfabetos, na falta de saúde, na corrupção e principalmente no índice de violência (este fato já confirmado por vários tele-jornais). Opa! Deixe-me voltar para o comunicado ou senão perderei o foco. Ela trazia consigo uma lata de tinta daquelas de 18L, umas lixas e mais algumas sacolas; coisas que eu só não poderia carregar. Daí contratei os serviços de um daqueles carregadores que andam com carro-de-mão pela rodoviária e pedi para que ele levasse as coisas até a frente da rodoviária para que eu pudesse pegar um táxi, quando fui lhe pagar com R$2,00 reais pelos 300m andados ele recebeu com uma cara fechada como se estivesse me respondendo "Só isso!?". Em sequência pegamos um táxi... Massa! Este depois de sair da rodoviária nos revelou que cobraria um tal excesso de bagagem, ou seja, por uma tinta e mais três mochilas médias. O que nos revoltou, mas antes que eu pudesse tomar alguma atitude, ela, a minha mulher, já estava dizendo que era para o senhor parar o carro, pois iríamos descer para pegar outra condução, que isso não existia e que não iria PAGAR nada além do que estivesse marcando no taxímetro. Poxa! Eu confesso que achei de sensacional a atitude dela, por ter dito aquelas coisas para o taxista, que se mostrava acima de tudo um corrupto. A corrida deu uns R$ 5,50 e ele queria nos cobrar R$10,00, o resto pelo tal excesso. Hai ai! 

Domingo dia 27/10/2009: chegou um tio meu do Paraná, que logo me chamou para dar uma volta no seu carro, para que ele fosse lavado por um desses “franelinhas” que encontramos pela grande e linda Beira Rio. Quando pergunto o preço para a suposta lavagem, o rapaz me responde: “Pô patrão, eu dou o grau por R$10,00 'paus'". Eu logo dei-lhe a resposta: esta bem, pode lavar. O rapaz pegou o seu balde e corda e foi colher um pouco da água potável, límpida e cristalina do grande Rio Cachoeira, que por mais que saiba o contrário sempre me vem na cabeça algum tipo de parentesco com o Tietê da grande São Paulo. 

Segunda dia 28/10/2009: saí do meu treino morto de sede e vontade de tomar um sorvete. Caminhando encontro um amigo, lhe faço o convite para irmos juntos, para conversarmos um pouco e fazer umas resenhas. Paramos na praça e em pouquíssimo tempo me aparece um engraxate, daqueles com uma caixa e tudo, cheio de conversa boa e vontade de trabalhar, este logo nos disse: “E aí irmandade, posso engraxar o teu sapato?”. E eu "Não! Estou sem grana". Mas mediante a tanta insistência ele, o meu colega, resolveu lustrar o belo sapato, que na verdade nem sapato era, e sim um tênis. Antes lhe perguntou o valor: “Para o senhor R$ 5,00 “contos”. Mas antes rolou um choro e o negócio foi feito por R$3,00. 

Na terça dia 29/10/2009: fui na academia mais próxima da minha casa, para ver se conseguia um estágio, crente a pensar que daria para fazer uma graninha extra, pois tenho muitas despesas na Faculdade. São gastos com: passagem, almoço, cópias, impressões e mais algumas coisas. Quando me espanto com o valor que muitos donos de academias pagam pelo serviço de um Educador Físico, apenas R$3,00 reais por hora aula. Poxa!!! Mas porque estou estudando tanto? Por que acordo tão cedo parar ir para a aula? Por que me submeto a horas e horas de estudo, com a finalidade de me capacitar para o mercado de trabalho? E quer saber o pior , conheço uns colegas que dizem que o bom é a experiência, que o bom é pegar as “negas” e que eles ganham bem e gostam do que fazem. Mas que merda de experiência é essa?! Para mim quem está adorando a experiência são os donos das academias que devem estar amando pagar uma merda para terem o serviço de um profissional capacitado, formado... Enquanto nós nos submetermos a estas condições de trabalho, donos de academias ganham rios de dinheiro e explorando os nosso trabalho. 

Por exemplo, uma academia de grande porte e que acopla a grande massa burguesa itabunense, tem em média de 150 a 600 alunos, que pagam por volta de R$ 40,00 a 80,00 reais por mês. Então como uma academia que tem mensal um saldo de mais de R$ 15.000,00 pode pagar apenas migalhas aos teus estagiários e profissionais? Cada academia dessa tem em média de 3 a 6 educadores que se revezam nos três turnos. E que recebem menos de R$ 3,00 por hora aula. Mas quem é o culpado por tanta injustiça?! A culpa é recaída ou dividida com a maioria dos clientes, pois estes quando encontram-se no ato de suas matrículas não exigem que a academia tenha profissionais qualificados, com especializações ou estagiários realmente preparados. Mas qual seria a solução para este imenso problema? A solução para este embate seria o trabalho em conjunto dos clientes com os profissionais. Nenhuma academia sobrevive sem seus consumidores de serviços, pois se estes exigirem, estas instituições serão obrigadas a melhorar os seus serviços e condições de trabalho.

Ao mostrar esta realidade aos meus colegas muitos deles me recriminaram por conta da minha atitude em por este texto no Blog, mas infelizmente esta é a realidade que nos enforca e não sou obrigado a bater palmas para tamanha barbárie.

domingo, 27 de junho de 2010

São João

Olá meus amigos, como está sendo o nosso São João?! O meu ocorreu em perfeita ordem, foi uma maravilha, pelo menos em termos de criatividade. Resolvi optar em ficar em casa por vários motivos: é mais seguro, economizo dinheiro (na verdade este tende a nunca me querer), me mantenho lúcido (até parece que bebo...), equilibrado e boa parte das comidas típicas encontro em casa. Para não dizer que não fiz nada, visitei a casa de uma amiga, vi 1/3 de barraco entre um casal e voltei para casa. Ajudei a minha mãe a fazer canjica, ralando uns móis de milho e queimando a barriga na panela.

Confesso que pareço mais uma porta nesta época do ano, não sou de ouvir cALYPSO, mAGNÍFICOS, cALCINHA pRETA e dentre outras merdas. Aprecio um arrasta pé a moda antiga, como: Dominguinhos, Genival Lacerda e por ai vai.

Não gosto de dançar forró, na verdade não é que eu não goste, não danço por respeito a integridade física da minha parceira, maltrato todas as que tentam  tal aventura. Mas o que eu queria mesmo eu fiz, fiquei em casa e não sai para quase nada (quase). Por conta disso, passei meu feriado aprendendo a fazer origami e criando adesivos para por no CPU do meu PC. 
 
Vejam como ficou:


Flor de Iris 1


Flor de Iris 2



Meu Computador





Georg W. Bush



Raul Seixas

As flores não foram necessariamente as que fiz. Não tive como tirar fotos para postar , mas consegui estas fotos do modelos e cor.

Ah! Amanhã teremos novas postagens.

terça-feira, 22 de junho de 2010

Nintendo Wii - As "novas tecnologias" ajudam ou atrapalham as aulas de Educação Física?

Você já ouviu falar no "Nintendo Wii"? Pois é, esse videogame tem sido o centro das atenções nas questões relacionadas às "novas tecnologias" que podem ajudar as pessoas a se tornarem mais ativas. Além disso, muitas universidades e clínicas de reabilitação têm adotado o Nintendo Wii como uma ferramenta que pode ser trabalhada na fisioterapia.



Confiram mais novidades no Homo Sportivus.

segunda-feira, 21 de junho de 2010

Vuvuzela


ORIGEM:

A origem da vuvuzela é muito antiga. Ela é originária de tribos ancestrais sul-africanas e servia para convocar reuniões. Tornou-se popular na África do Sul na década de 1990. Em 2001, a empresa sul-africana Masincedane Sport começou a produzir em massa uma versão de plástico. Requerem um sopro forte, de modo a emitir um ruído semelhante ao de uma sirene ou ao de um elefante. A utilização da vuvuzela é característica dos jogos entre grandes equipes de futebol sul-africano como o Kaizer Chiefs e o Orlando Pirates. As vuvuzelas da torcida dos Chiefs são amarelas e vermelhas, enquanto as da torcida dos Pirates são magenta cor de tijolo.






TENTATIVA DE PROIBIÇÃO:



A vuvuzela tem sido alvo de controvérsia devido a possibilididade de o instrumento causar danos auditivos graves e permanentes, e por ser um disseminador de doenças (a gripe em particular, mas podendo ser qualquer germe) substancialmente mais perigoso do que tossir ou falar. É também perigosa para os animais, visto que estes possuem geralmente uma audição mais sensível, podendo criar situações de pânico e terror além de danos mais sérios em comparação com humanos.


 VUVUZELA, ELEIÇÕES E BULLYING:


segunda-feira, 14 de junho de 2010

V Seminário de Voleibol e Variantes

Acontecerá na Universidade Estadual de Santa Cruz – UESC –, no dia 19 de junho, o V Seminário de Voleibol & Variantes, promovido pelo 5º semestre do curso de Educação Física, sob a coordenação da professora Márcia Morel. O evento terá início às 08 horas, no auditório Jorge Amado da UESC, com palestras (auditório) e oficinas (Parque Desportivo). Terá como tema: "Abordagem lúdica no voleibol: novas perspectivas para a modalidade na região ". 

O seminário tem como objetivos promover discussões e reflexões sobre o voleibol e sua relação com a ludicidade; incentivar as experiências pedagógicas tratando de questões que fundamentam ações educativas do processo ensino-aprendizado e sua utilização na atual realidade do esporte na região e aprimorar perspectiva e abordagens que venham auxiliar profissionais e futuros profissionais da Educação Física.

As inscrições serão gratuitas com certificado de 4h.


Contamos com a presença de todos...



 
Copyright 2009 UESC Pelo Avesso. Powered by Blogger Blogger Templates create by Deluxe Templates. WP by Masterplan